É divulgado o primeiro medicamento comprovado a reduzir óbitos por Covid-19 Um estudo clínico com a droga foi feito com 6.000 pacientes no Reino Unido e mostrou que o remédio apresentou resultados positivos ~ Esperança News

É divulgado o primeiro medicamento comprovado a reduzir óbitos por Covid-19 Um estudo clínico com a droga foi feito com 6.000 pacientes no Reino Unido e mostrou que o remédio apresentou resultados positivos

BBC - remédio (Foto: Getty Images via BBC News Brasil)
Nesta terça-feira (16), cientistas da Universidade de Oxford, na Inglaterra, afirmaram que foi identificado o primeiro medicamento comprovado a reduzir mortes por coronavírus. Trata-se da dexametasona, um corticoide.
Um estudo clínico com a droga foi feito com 6.000 pacientes no Reino Unido e mostrou que o remédio apresentou resultados positivos.
Em pacientes que receberam ventilação, a quantidade de mortes foi reduzida em um terço. No caso de pacientes que tiveram tratamento apenas com oxigênio, a redução de óbitos chegou a um quinto. Os cientistas disseram que não encontraram benefícios em pacientes que não precisaram de suporte respiratório.
Segundo o secretário de Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, os profissionais do Serviço Nacional de Saúde, o NHS, vão passar a usar a droga no tratamento contra a Covid-19. O governo começou a estocar dexametasona há alguns meses porque acreditava no potencial do medicamento e 200.000 doses estão disponíveis para a população.
Em um comunicado, o professor de doenças infecciosas emergentes na Universidade de Oxford e um dos autores do estudo, Peter Horby, afirmou que a “dexametasona é a primeira droga a mostrar uma melhoria na taxa de sobrevivência por Covid-19. O benefício de sobrevivência é evidente e eficaz em pacientes que estão doentes o suficiente para precisarem de tratamento com oxigênio”.


Um medicamento barato e amplamente disponível chamado dexametasona pode ajudar a salvar a vida de pacientes gravemente doentes com coronavírus.
O medicamento faz parte do maior teste do mundo com tratamentos existentes para verificar quais funcionam contra o coronavírus.
E o tratamento com esteroides em baixa dose de dexametasona é um grande avanço na luta contra o vírus mortal, segundo especialistas do Reino Unido.
Seu uso levou a uma redução em um terço no risco de morte para pacientes respirando com a ajuda de respiradores. Para quem demanda oxigenação, reduziu as mortes em um quinto.
Se o medicamento tivesse sido usado para tratar pacientes no Reino Unido desde o início da pandemia, até 5 mil vidas poderiam ter sido salvas, dizem os pesquisadores.
E também poderia ser benéfico em países mais pobres, com grande número de pacientes da covid-19.
Cerca de 19 dos 20 pacientes com coronavírus se recuperam sem serem admitidos no hospital. Dos que são internados no hospital, a maioria também se recupera, mas alguns podem precisar de oxigênio ou ventilação mecânica. Estes são os pacientes em alto risco, que a dexametasona parece ajudar.
O medicamento já é usado para reduzir a inflamação em várias outras doenças e parece que ajuda a interromper alguns dos danos que podem ocorrer quando o sistema imunológico do corpo entra em ação exageradamente ao tentar combater o coronavírus.
A reação exagerada do corpo é chamada de tempestade de citocinas e pode ser mortal.
Na pesquisa, liderada por uma equipe da Universidade de Oxford, cerca de 2 mil pacientes hospitalizados receberam dexametasona e foram comparados com mais de 4 mil que não receberam o medicamento.
Para pacientes em respiradores, reduziu o risco de morte de 40% para 28%. Para pacientes que precisam de oxigênio, reduziu o risco de morte de 25% para 20%
BBC - remédio 2 (Foto: Reprodução/BBC)
O pesquisador Peter Horby disse: "Este é o único medicamento até agora que demonstrou reduzir a mortalidade - e a reduz significativamente. É um grande avanço".
Segundo o pesquisador Martin Landray, os resultados sugerem que para cada oito pacientes tratados em respiradores, pode-se salvar uma vida com a dexametasona. Para os pacientes tratados com oxigênio, você salva uma vida a cada 20 a 25 tratados com o medicamento.
"Há um benefício claro. O tratamento é de até 10 dias de dexametasona e custa cerca de 5 libras (equivalente a aproximadamente R$ 35) por paciente. Portanto, basicamente custa 35 libras para salvar uma vida (R$ 350). E este é um medicamento disponível globalmente".
Alerta: medicamento não deve ser tomado por pessoas em casa
Landray disse que, quando apropriado, os pacientes hospitalares devem receber o tratamento sem demora, mas fez um alerta: as pessoas não devem sair para comprá-lo e tomar em casa.
Share:

Nenhum comentário:

Postagem em Destaque

Dudu Braga, filho de Roberto Carlos, fala de novo câncer: "Meu pai ficou arrasado" Produtor musical já havia vencido batalha contra a doença outras duas vezes

  O produtor musical   Dudu Braga ,  de 51 anos de idade, filho do 'rei'   Roberto Carlos ,   de 79, que comemorou o fim de sua segu...

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

DEIXE SEU COMENTARIOS

clima tempo

Blog Archive

SIGA-ME

SIGA-ME
SEJA UM SEGUIDOR

Fisiholistico

Forafrica

Forafrica
Enterprise.

Popular Posts

TWITTER

whatsapp

Postagens mais visitadas

Globo de visitas