A Revista Esperancanews- não formula notícias, artigos ou vídeos, salvo quando os mesmos são citados como criação própria. Todas as nossas publicações são reproduções fiéis de sites de terceiros. Sendo assim, o conteúdo e/ou opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores, cujas informações estão contidas nos links da fonte, e não refletem, necessariamente, a opinião da Revista Esperancanews

Enterro de Gugu termina com tumulto e furtos de celulares Polícia prendeu três suspeitos


Local do enterro do corpo de Gugu Foto: Reprodução
O fim do sepultamento do apresentador Gugu Liberato, em São Paulo, nesta sexta-feira (29), foi de tumulto e assaltos. A cerimônia, que chegou a reunir 2 mil pessoas no Cemitério Gethsêmani, no bairro do Morumbi, terminou, para muitos, na delegacia, onde foram registrados furtos.
Pelo menos seis pessoas se apresentaram a policiais relatando os furtos.
A Polícia Militar de São Paulo informou que prendeu três homens de nacionalidade estrangeira. Segundo os PMs, eles foram abordados após apresentarem atitude suspeita na multidão.
Ao todo, de sete a oito celulares foram apreendidos com os suspeitos. A Polícia informou que as vítimas terão que desbloquear os aparelhos para recuperá-los.
Share:

Trata-se de petição eletrônica do site AVAAZ.ORG

G
Quase 25 mil capixabas assinam impeachment de Contarato
Grande parte do eleitorado do senador Fabiano Contarato (REDE) tem se manifestado nas redes sociais insatisfação com o mandatário. Na petição é qualificado como "mentiroso" porque na campanha se apresentou mais conservador e demonstrando aliamento com as propostas do presidente Jarir Bolsonaro (PSL).
Depois de eleito vem sendo um dos ferozes opositores ao governo do Bolsonaro, além de declarar seu amor pelo PT e com ideias esquerdistas radicais.
"O povo Capixaba arrependido de ter votado nesse mentiroso.
O povo capixaba, que colocou esse homem no senado, que apoia a Lava-jato, se sente envergonhado por ter votado nesse mentiroso, pois na sua campanha mostrava-se apoiador da Lava-jato e hoje faz de tudo pra derrubar anos e anos de investigação, e com isso invalidar todos os processos. Compartilhem e assinem esta petição e vamos mostrar pros corruptos quem manda, pois todo o poder emana do povo!!!"
Share:

Barroso solta o verbo contra a perseguição à Lava Jato (Aguenta!)

Resultado de imagem para Barroso solta o verbo contra a perseguição à Lava Jato (Aguenta!)
No seu voto, Luís Roberto Barroso criticou indiretamente a perseguição aos procuradores da Lava Jato, um dia depois de o CNMP ter advertido Deltan Dallagnol por ter criticado o STF. Ele disse: “Muita gente gostaria de transformar a reação indignada da sociedade brasileira no enfrentamento à corrupção. Muita gente tenta transformar esse processo histórico decisivo para perseguir gente proba e honesta.” E também:

“Sou contra vazamentos, sou contra manobras informais ardilosas, sou contra a perseguição de qualquer tipo, a qualquer pessoa, por qualquer motivo que seja e, portanto, sou a favor da punição rigorosa de quem quebra o sigilo fiscal e bancário fora das hipóteses permitidas, e também recomendo que as pessoas diminuam a sua euforia com provas obtidas criminosamente.” E ainda: “O país vem fazendo um esforço enorme para empurrar para a
margem da historia essa velha ordem em que era legítima a apropriação do estado e o desvio do dinheiro público. Somos uma sociedade que deixou de aceitar (a corrupção), há uma enorme demanda por integridade e as instituições precisam corresponder à demanda da sociedade.” Barroso não fala javanês. -Aguenta Gilmar! 
fonte:https://www.denunciapolitica.com.br/
Share:

17 anos de cadeia: Desembargador aumenta pena de Lula no caso do sítio de Atibaia

Resultado de imagem para 17 anos de cadeia: Desembargador aumenta pena de Lula no caso do sítio de Atibaia

Petista queria anular a sentença e acabou se lascando …

Há poucos minutos, o desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da Lava Jato no TRF-4 (segunda instância) manteve a condenação de Lula e, de lambuja, ainda aumentou a pena do ex-presidente para 17 anos, 1 mês e 10 dias de prisão.
Na sentença anterior (1ª instância), Lula havia sido condenado por corrupção e lavagem de dinheiro a 12 anos e 11 meses de prisão por pela juíza federal Gabriela Hardt.
Gebran declarou que a culpabilidade de Lula é “bastante elevada”.
“Pouco importa se a propriedade formal ou material do sítio é de Bittar ou Lula. Há fortes indicativos que a propriedade possa não ser de Bittar, mas fato é que Lula usava o imóvel com ‘animus rem sibi habendi’ (que significa uma intenção de ter a coisa como sua). Temos farta documentação de provas”, afirmou o desembargador.
Faltam ainda os votos dos outros dois integrantes da turma, desembargadores Leandro Paulsen e Carlos Eduardo Thompson Flores.
Share:

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, Eduardo El Hage, disse que o Senado deveria servir como freio para os “abusos” do STF

Resultado de imagem para O coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, Eduardo El Hage,
O coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, Eduardo El Hage, disse que o Senado deveria servir como freio para os “abusos” do STF (Supremo Tribunal Federal). O procurador classifica como excesso da Corte fatores como a decisão que redefiniu a ordem das alegações finais, a suspensão de investigação baseadas em relatórios da Unidade de Inteligência Financeira (antigo Coaf) e a mudança de entendimento sobre o cumprimento de pena após condenação em 2ª Instância. De acordo com o procurador, essa medidas contribuem para o enfraquecimento Lava Jato.
“A gente vê que o Senado, que deveria servir como freio e contrapeso, não tem atuado para conter certos atos do tribunal. Se 1 dos Poderes abusa de seus limites, os outros Poderes têm o dever de atuar e servir como contenção. Pouco se vê o Senado, mesmo nesses casos em que transbordam totalmente da competência do Supremo, fazer alguma coisa. [A CPI] É o instrumento que o Poder Legislativo possui. Tem que ter 1 fato concreto”, disse.
As declarações foram feitas em entrevista à Folha de São Paulo, publicada nesta 2ª feira (18.nov.2018).
Eis alguns trechos do que disse El Hage:
  • Interferência do Planalto – “[O Executivo] mexeu na configuração do Coaf. Ele sempre foi uma das principais armas de nossas investigações seguindo o modelo internacional. Houve também uma interferência na troca de superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, quando isso não é geralmente pauta de presidente da República”;
  • Sergio Moro – “Ele [Moro] acabou associando a imagem da operação com o governo Bolsonaro, que não tem nada a ver. Principalmente aqui no Rio, porque Moro nem sequer era juiz aqui. Não estou perto desse ambiente de Brasília. Mas esperava que ele [Moro] tivesse mais poder e força política para implementar as medidas que ele estava propondo”;
  • Vaza Jato – “Foi 1 ataque criminoso. Tem que se apurar quem financiou. É quase impossível garantir a autenticidade das mensagens. Além disso, tem se considerado as mensagens como a única forma de comunicação entre os procuradores, o que não é verdade”;
  • Lava Jato no Rio – “Nossa estrutura é pífia, apesar de termos feito a operação contra o ex-presidente [Michel] Temer, termos prendido 1 dos maiores doleiros do Brasil, Dario Messer, termos feitos os maiores acordos de colaboração premiada da história da operação. Temos 5 sistemas informatizados de doleiros que têm milhares de empresas offshores, milhares de transações. É impossível, com uma estrutura tão pequena, dar saída a essa quantidade enorme de informação”;
  • Sérgio Cabral (MDB-RJ) – “Somos contrários a uma colaboração premiada do ex-governador Sérgio Cabral. Ele teria muito pouco a acrescentar nesse momento. Não seria uma resposta que o Ministério Público Federal gostaria de dar à sociedade. Risco [de soltura] sempre há. Vivemos momentos de muita insegurança jurídica. Alguns preceitos que entendíamos como muito bem assentados no direito brasileiro estão sendo subvertidos de maneira muita abrupta.”
Share:

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, Eduardo El Hage, disse que o Senado deveria servir como freio para os “abusos” do STF

Resultado de imagem para O coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, Eduardo El Hage,
O coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, Eduardo El Hage, disse que o Senado deveria servir como freio para os “abusos” do STF (Supremo Tribunal Federal). O procurador classifica como excesso da Corte fatores como a decisão que redefiniu a ordem das alegações finais, a suspensão de investigação baseadas em relatórios da Unidade de Inteligência Financeira (antigo Coaf) e a mudança de entendimento sobre o cumprimento de pena após condenação em 2ª Instância. De acordo com o procurador, essa medidas contribuem para o enfraquecimento Lava Jato.
“A gente vê que o Senado, que deveria servir como freio e contrapeso, não tem atuado para conter certos atos do tribunal. Se 1 dos Poderes abusa de seus limites, os outros Poderes têm o dever de atuar e servir como contenção. Pouco se vê o Senado, mesmo nesses casos em que transbordam totalmente da competência do Supremo, fazer alguma coisa. [A CPI] É o instrumento que o Poder Legislativo possui. Tem que ter 1 fato concreto”, disse.
As declarações foram feitas em entrevista à Folha de São Paulo, publicada nesta 2ª feira (18.nov.2018).
Eis alguns trechos do que disse El Hage:
  • Interferência do Planalto – “[O Executivo] mexeu na configuração do Coaf. Ele sempre foi uma das principais armas de nossas investigações seguindo o modelo internacional. Houve também uma interferência na troca de superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, quando isso não é geralmente pauta de presidente da República”;
  • Sergio Moro – “Ele [Moro] acabou associando a imagem da operação com o governo Bolsonaro, que não tem nada a ver. Principalmente aqui no Rio, porque Moro nem sequer era juiz aqui. Não estou perto desse ambiente de Brasília. Mas esperava que ele [Moro] tivesse mais poder e força política para implementar as medidas que ele estava propondo”;
  • Vaza Jato – “Foi 1 ataque criminoso. Tem que se apurar quem financiou. É quase impossível garantir a autenticidade das mensagens. Além disso, tem se considerado as mensagens como a única forma de comunicação entre os procuradores, o que não é verdade”;
  • Lava Jato no Rio – “Nossa estrutura é pífia, apesar de termos feito a operação contra o ex-presidente [Michel] Temer, termos prendido 1 dos maiores doleiros do Brasil, Dario Messer, termos feitos os maiores acordos de colaboração premiada da história da operação. Temos 5 sistemas informatizados de doleiros que têm milhares de empresas offshores, milhares de transações. É impossível, com uma estrutura tão pequena, dar saída a essa quantidade enorme de informação”;
  • Sérgio Cabral (MDB-RJ) – “Somos contrários a uma colaboração premiada do ex-governador Sérgio Cabral. Ele teria muito pouco a acrescentar nesse momento. Não seria uma resposta que o Ministério Público Federal gostaria de dar à sociedade. Risco [de soltura] sempre há. Vivemos momentos de muita insegurança jurídica. Alguns preceitos que entendíamos como muito bem assentados no direito brasileiro estão sendo subvertidos de maneira muita abrupta.”
Share:

Tudo o que você precisa saber sobre a condenação de Lula A segunda instância vai manter a condenação? Como fica 2018? Para onde vai a bolsa? Abaixo, as seis respostas fundamentais sobre o caso.

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo juiz Sergio Moro a nove anos e seis meses de prisão por lavagem de dinheiro e corrupção passiva no caso do tríplex do Guarujá abriu uma nova leva de incertezas políticas e econômicas.
A segunda instância vai manter a condenação? Como fica 2018? Para onde vai a bolsa? Abaixo, as seis respostas fundamentais sobre o caso.

1 – Por que Lula foi condenado?

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se tornou nesta quarta-feira o primeiro ex-presidente da República condenado por corrupção na história do Brasil.
O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância em Curitiba, considerou Lula culpado dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro atribuídos a ele pelo Ministério Público Federal (MPF) no caso envolvendo o tríplex no Guarujá, reservado ao petista pela OAS e reformado pela empreiteira ao custo de 2,4 milhões de reais.
Além deste processo, em que Lula foi sentenciado a 9 anos e seis meses de prisão, o ex-presidente é réu em outras quatro ações penais e alvo de uma denúncia do MPF ainda não analisada por Sergio Moro. A sentença afirma que, uma vez que o ex-presidente Lula teve comportamentos de intimidação da Justiça e de orientar terceiros para destruição de provas, “até caberia cogitar a decretação da prisão preventiva”. Porém, foi considerado prudente aguardar o julgamento pela Corte de Apelação, antes de fazer cumprir a pena, já que a prisão cautelar de um ex-presidente “não deixa de envolver certos traumas”. Assim, Lula poderá apresentar sua apelação em liberdade.

2 – A decisão será mantida em segunda instância?

Se a condenação em primeira instância era dada como certa, a posição do Tribunal Regional Federal da 4ª região, em Porto Alegre, ainda é uma incógnita. Dos 43 condenados por Sergio Moro que chegaram à corte, 12 terminaram absolvidos. E em apenas 13 vezes as penas foram mantidas – um índice de apenas 30%, como revelou o jornal O Estado de S. Paulo. O caso mais recente de absolvição foi do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, acusado de corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro. Vaccari foi absolvido pela 8ª Turma Criminal, que considerou que as provas contra ele eram “insuficientes” e baseadas apenas em “delações premiadas”. O caso de Lula também será analisado pelos três desembargadores da 8ª Turma, composta por Victor Luiz dos Santos Laus, João Pedro Gebran Neto e Leandro Paulsen. Mas seu caso pode ter outro desfecho, na visão de analistas políticos. “O mundo vai cair em cima deste colegiado de juízes. O melhor que eles têm a fazer é manter a decisão”, afirma Sérgio Praça, cientista político da FGV.

3 – Lula será candidato?

A 452 dias das eleições de 2018, a possibilidade de que Lula seja candidato não está 100% descartada.
Focado justamente na narrativa de perseguição jurídica, que ganha mais um capítulo nesta quarta-feira, o ex-presidente tem 30% das intenções de voto em todos os cenários de primeiro turno, segundo a pesquisa Datafolha de junho. Seus apoiadores dizem que a condenação tem como propósito inviabilizá-lo nas eleições de 2018, evitando o retorno da esquerda ao Palácio do Planalto. ]
O que vale portanto, é a confirmação ou não da sentença pelo TRF-4. Pela Lei da Ficha Limpa, é a primeira decisão colegiada que caracteriza a inelegibilidade de um candidato. Entre as apelações das defesa de condenados pela Lava-Jato à segunda instância já julgadas, o tempo médio de decisão é de 342 dias, cerca de um ano.
A maior delas chegou a 21 meses. O que resta de dúvida no caso de Lula, portanto, é quanto tempo o tribunal colegiado levará para confirmar ou rejeitar a decisão de Moro. O registro de candidatura para a Presidência da República costuma acontecer seis meses antes do pleito, marcado para 7 de outubro de 2018, mas o caso fica em aberto até o julgamento do registro pela Justiça Eleitoral, que acontece antes da posse.
Mesmo que a candidatura seja registrada, há a possibilidade de cassação do registro por conta da condenação. “O processo deve acelerar ainda mais a campanha do Lula para a presidência, já que fica mais sensível prender o candidato que lidera as pesquisas”, afirma Renato Meirelles, sócio da empresa de pesquisas Locomotiva.

4 – O que ainda pesa contra Lula?

Há outras cinco frentes de investigação contra o ex-presidente, com Lula réu em quatro delas:
1 – Terreno e cobertura bancados pela Odebrecht;
2 – Compra do silêncio de Nestor Cerveró;
3 – Favorecimento à Odebrecht no BNDES;
4 – Caças suecos e venda de Medida provisória;
5 – Sítio em Atibaia reformado por empreiteiras, em que Lula ainda é apenas denunciado.

5 – Como a condenação afeta o cenário político?

A esquerda tentará fortalecer o discurso de que Lula sofre uma perseguição política. É uma tentativa de criar simpatia para melhorar o cenário nas eleições de 2018 de forma que, mesmo que o ex-presidente seja condenado em segunda instância e não possa ser candidato, outro nome do mesmo campo político se capitalize politicamente.
O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini, reforçou o discurso. “Moro foi quem condenou, quem investigou, quem denunciou e julgou”, disse. Assim como o senador Lindbergh Farias. “Não vamos aceitar um processo eleitoral sem Lula, é fraude, é uma farsa, vamos denunciar internacionalmente […]. A Justiça brasileira sempre jogou do lado da elite, e sempre foi muito dura com os movimentos sociais”, afirmou.
Até aqui, o discurso de perseguição está ajudando a fortalecer o ex-presidente – em um ano subiu de 17% para 30% das intenções de voto.
Para o professor de Ética e Filosofia na UNICAMP, Roberto Romano, a corrida pela persuasão se intensifica a partir de hoje. Assim, considerando que 17% seria o chão para Lula, esses 13% estão em jogo para a esquerda – Lula sendo candidato ou não. “Claro que essa condenação vai prejudicar a esquerda. Hoje o Lula é reconhecido como culpado por corrupção e pelo espaço de tempo que temos, já é possível avaliar que dificilmente poderá concorrer às eleições porque deve ser condenado em segunda instância”, diz o líder do Democratas na Câmara, deputado Efraim Filho.

6 – Como fica a bolsa?

A bolsa disparou 1% após a condenação de Lula, mas, segundo analistas, trata-se de algo pontual. “Foi um movimento pautado mais pela emoção e euforia do que pelo racional”, diz Raphael Figueredo, analista da corretora Clear. A denúncia enfraquece a candidatura de Lula para 2018, mas não o impossibilita de concorrer às eleições.
A possibilidade de Lula presidente, portanto, continuará a assombrar investidores e impedir uma grande alta da bolsa. Ao longo dos próximos dias os investidores voltarão a se atentar para o cenário político atual. A denúncia contra o presidente Michel Temer, que tramita na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, e a reforma da Previdência são as notícias que mais interessam neste momento. Lula é um problema para depois.
Fonte: Exame

Share:

Bandidos invadem fórum na Paraíba, amarram juiz e vigilante e fogem levando mais de 70 armas


O Juiz e o vigilante do fórum de Alagoa Grande passaram por maus momentos durante um assalto ocorrido nesta segunda-feira (25) no fórum da cidade.
De acordo com a polícia eram quatro homens que chegaram no fim da noite, renderam o juiz e um vigilante e os forçaram a dizer onde ficavam as armas.
Os bandidos amarram o juiz e o vigilante e depois fugiram levando cerca de 70 armas.
Na fuga, a polícia Militar surpreendeu os suspeitos. Houve troca de tiros, um deles foi preso após ser baleado na perna e as armas e o colete que eles pretendiam levar foram todos recuperados.
Ainda segundo a polícia, a ocorrência continua em andamento porque o objetivo é prender os outros três.suspeitos
O homem que foi preso está sob custódia policial no Trauma de Campina Grande.
Share:

Dallagnol é punido pelo Conselho Nacional do MP por críticas aos ministros do STFO Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu hoje (26), por 8 votos a 3, punir o procurador da República Deltan Dallagnol

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu hoje (26), por 8 votos a 3, punir o procurador da República Deltan Dallagnol com uma advertência por ter dito em entrevista que ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) eram lenientes com a corrupção em caso de reincidência pode resultar em punições mais graves. A sanção também prejudica a promoção.
Dallagnol ainda responde a outros dois procedimentos disciplinares que constam na pauta de julgamentos do CNMP desta terça-feira (26), um aberto por iniciativa do senador Renan Calheiros (MDB-AL) e outro pela senadora Kátia Abreu (PDT-TO).

Julgamento

Dallagnol foi punido no processo administrativo disciplinar (PAD) aberto em abril a pedido do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, após o procurador ter dito, numa entrevista à rádio CBN, em agosto do ano passado, que os ministros da Segunda Turma do Supremo “mandaram uma mensagem muito forte de leniência a favor da corrupção”.

O procurador fez uma crítica à decisão em que a Segunda Turma do STF retirou trechos da delação da Odebrecht das mãos do então juiz federal e hoje ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Sua defesa alega que ele apenas exerceu sua liberdade de expressão e não incorreu em nenhuma falta disciplinar.
Para o relator do caso, conselheiro Luís Bandeira de Mello, o procurador agiu com “ausência de zelo pelo prestígio de suas funções, falta de decoro, urbanidade”, violando seus deveres funcionais previstos na legislação pertinente.
“É um excelente procurador da República, e é bem verdade que o trabalho que ele faz revolucionou o Judiciário, revolucionou a sociedade, revolucionou a quadratura atual em que nós vivemos, mas é necessário registrar que esta atuação não pode servir como um salvo conduto para ele manifestar o que desejar, do modo como desejar, como vinha fazendo de modo excessivo”, disse Bandeira.
O relator foi acompanhado pelos conselheiros Otávio Rodrigues, Sandra Krieger, Fernanda Marinella, Valter Shuenquener, Luciano Maia, Sebastião Caixeta e Rinaldo Reis, que é o corregedor nacional do MP. Divergiram o vice-procurador-geral da República, José Bonifácio de Andrada, e os conselheiros Silvio Amorim e Oswaldo D’Albuquerque.

Defesa

O advogado Francisco Rezek, ex-ministro do STF, disse durante o julgamento que os termos utilizados por Dallagnol foram de fato “inadequados, deselegantes”, mas que de forma alguma ele havia violado seu decoro funcional.
Rezek pediu aos conselheiros que observassem o princípio da proporcionalidade no caso, pois embora as palavras de Dallagnol tenham sido “infelizes”, elas parecem brandas quando confrontadas com as manifestações de outras autoridades.
“Dos três lados da Praça dos Três Poderes, tudo o que temos ouvido é o desregramento verbal, é a falta de padrões de continência”, disse Rezek, afirmando que o Brasil se tornou “uma República de boquirrotos”.
Ainda em defesa de Dallagnol, o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Fábio George da Nóbrega, disse que as manifestações do procurador se enquadram na liberdade de crítica a autoridades da República. "Para fortalecer o Estado Democrático de Direito, todas as críticas, ainda que árduas e duras, precisam ser toleradas e admitidas”, defendeu.
Share:

Toffoli tenta lacrar fala de Guedes sobre (AI-5), mas leva uma lapada de Roberto Barroso

Resultado de imagem para TOFFOLI E BARROSO
Dias Toffoli rebateu as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, que disse para as pessoas não se assustarem “se alguém pedir o AI-5”. “O AI-5 é incompatível com a democracia. Não se constrói o futuro com experiências fracassadas do passado”, afirmou hoje o presidente do STF, durante o Encontro Nacional do Poder Judiciário, em Maceió.Outro ministro do STF, Luís Roberto Barroso, que participou de uma audiência pública no TSE, também foi perguntado sobre o comentário de Guedes. Ele respondeu: “Isso pertence ao varejo da política. Não cabe a um ministro do STF opinar
FONTE:https://www.denunciapolitica.com.br/2
Share:

'Pretendo ser o escudo e a espada de Bolsonaro', diz Mourão - 23/11/2018 - UOL Notícias

O vice-presidente eleito, Antônio Hamilton Mourão - Taís Vilela 31.out.2018 - /UOL
O vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão (PRTB), afirmou nesta sexta-feira (23), durante o painel Brasil de Ideias, promovido pela Revista Voto, que pretende ser "o escudo e a espada de Bolsonaro", destacando a importância do papel do vice no atual cenário político. "Não vamos receber ninguém na garagem à meia-noite, podem ter certeza disso aí", disse, em alusão a um dos trechos da conversa entre o presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista, da JBS, recuperados pela Polícia Federal. Mourão afirmou ainda que pretende cortar mais da metade dos cargos disponíveis na Vice-Presidência. "A determinação do presidente é de que esta racionalização atinja todos os setores", explicou. Segundo o vice-presidente, o novo governo será norteado pelo sistema democrático, rechaçando qualquer possibilidade de haver uma intervenção militar avalizada pelo Palácio do Planalto. "Ninguém tem dúvida de que a democracia liberal é o grande sistema capaz de levar as nações ao progresso", reafirmou. "A democracia liberal enfrenta desafios como a nossa, com mais de 200 milhões de habitantes com suas demandas sociais e necessidades. Nós temos que buscar solucionar tudo aquilo que nos aflige." Mourão também comentou o ruído gerado na composição do novo governo, no caso do indicado ao Ministério da Economia, Paulo Guedes, ter desautorizado a fala do ministro extraordinário da Transição e futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, sobre a reforma da Previdência. "Ministro não controla ministro, ambos estão no mesmo nível. Eu sempre cito o exemplo do quartel, onde o comandante da 1ª companhia não dá ordens para o comandante da 2ª companhia, pois se equivalem", disse.
Sobre as estratégias do novo governo, o general endossou a defesa de Paulo Guedes a um novo pacto federativo com "menos Brasília e mais Brasil" e a retomada de protagonismo do Congresso. "Nós queremos ter uma relação estreita com o Poder Legislativo, pois ele é o grande fiscalizador do Executivo", afirmou o vice-presidente eleito. "Vamos devolver a ele a sua grande atribuição de efetivamente montar o orçamento. Das grandes ideias que nós temos uma delas é desvincular tudo no orçamento da União e entregar este pacote na mão dos nossos representantes no Congresso.
FONTE:https://noticias.uol.com.br/
Share:

Ex-presidentes custam R$ 4,2 milhões por ano ao País Eles podem ter até 8 funcionários e 2 carros oficiais, além de contar com passagens e diárias para assessores, cartão corporativo e vale-combustível

Os cinco presidentes com direito aos benefícios
Na última semana, uma decisão do juiz Haroldo Nader, da 6ª Vara Federal de Campinas, gerou polêmica. Ele retirou os benefícios dados ao ex-presidente Lula. Tais privilégios incluem até oito funcionários, sendo dois motoristas, dois assessores e seguranças, além de dois veículos oficiais. Fora isto, todos os ex-chefes de Estado brasileiros ainda contam com auxílios para o combustível e  passagens e diárias dos assessores, além de um cartão corporativo.
O Brasil tem cinco ex-presidentes desde a redemocratização que usufruem destas benesses: José Sarney, Fernando Collor de Melo, Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Vana Rousseff.
A conta dessas regalias chega ao bolso de todos. São precisamente R$ 4,24 milhões debitados todos os anos. Desde 1999, quando se inicia o levantamento de dados, já foram quase R$ 36 milhões.
Os ex-presidentes que se elegeram a novos cargos políticos (Sarney e Collor) puderam continuar recebendo os recursos, tanto o salário pelo cargo que exerciam, quanto o referente ao auxílio para ex-presidentes.
A conta dessas regalias chega ao bolso de todos. São precisamente R$ 4,24 milhões debitados todos os anos. Desde 1999, quando se inicia o levantamento de dados, já foram quase R$ 36 milhões.
Os ex-presidentes que se elegeram a novos cargos políticos (Sarney e Collor) puderam continuar recebendo os recursos, tanto o salário pelo cargo que exerciam, quanto o referente ao auxílio para ex-presidentes.
A origem dos benefícios vem da Lei 7.474/1986, que trata das “medidas de segurança” aos chefes do Executivo brasileiro. Ela foi alterada e ampliada duas vezes em1994 e reestruturada por meio do Decreto nº 6.381, em fevereiro de 2008, pelo então presidente Lula.
Nos Estados Unidos, os antigos presidentes, que não tenham sido depostos, têm direitos semelhantes. Desde 1958, existe a "Former Presidencts Act" (a lei para ex-presidentes), que provê a estas pessoas uma pensão vitalícia, segurança fornecida pelo serviço secreto, pagamento de pessoal e de escritório, além de imunidade diplomática. No ano passado, somente com a pensão, cada um dos cinco ex-mandatários vivos recebeu US$ 207.800 por ano, que, convertido na cotação atual, equivalem a R$ 768.860, gerando um gasto anual de R$ 3.844.300 somente com este benefício. 
Outro fato interessante no caso norte americano é o de as esposas de ex-presidentes, também terem direito a uma pensão vitalícia, no valor de 20 mil dólares anuais, equivalentes as R$ 74 mil.
Share:

Globo compra os direitos. E não publica livro sobre corrupção na Fifa Autor estranha a atitude. Mas revela que a emissora carioca é citada quatro vezes na publicação que está nas livrarias do mundo. Menos no Brasil

Hawilla foi funcionário da Globo. E negociou por décadas com a emissora
O país acompanhou a Libertadores da América de 2018, pela tevê aberta, até a sua semifinal.
Quando o Grêmio caiu diante do River Plate, a Globo não quis saber da decisão da competição.


Só pôde acompanhar a decisão entre Boca e River aqueles que possuem tevê a cabo.

De acordo com dados da Anatel, a Agência Nacional de Telecomunicações, 74,6% da população de 209 milhões de brasileiros não possuem esse privilégio.

Os dados são de 2018.

As estatísticas evidenciam a desigualdade.

Em São Paulo, por exemplo, 41,8% da população conseguiu ter acesso a tevê a cabo.

Já no Maranhão, apenas 9,6% pagam para ter canais por assinatura.

A Globo tem essa filosofia há décadas.

COSME RÍMOLI: Vaidoso, Landim jura: Flamengo 'ganhará tudo'. Será cobrado

Se acredita que a competição esportiva comprada não dará audiência, não mostra.

Não importa se seus telespectadores passaram, como no caso da Libertadores de 2018, de janeiro a dezembro, acompanhando os jogos. A final não puderam ver.

E ponto final.
Essa filosofia capitalista vale para todo o grupo fundado por Roberto Marinho.
E não é formado apenas pela TV Globo.
Há a Infoglobo,a Editora Globo, o Sistema Globo de Rádio, a Som Livre, a Globosat, a Globo.com e o ZAP.
A mesma filosofia de comprar e divulgar o que interesse segue em todo grupo, chamado anteriormente de Organizações Globo.
E até em áreas que muitas vezes passam longe da grande mídia.
Como é o caso do livro "Cartão Vermelho: Como os EUA Revelaram o maior Escândalo Esportivo Mundial", de Ken Besinger.
A Editora Globo comprou os direitos da publicação no Brasil.
A obra é uma pesquisa sobre a corrupção no futebol.
Detalha os detalhes dos principais envolvidos no escândalo que abalou a Fifa em 2015, com a prisão de vários membros da cúpula da poderosa organização. E obrigou a renúncia de Joseph Blatter.
Por que a Editora Globo comprou os direitos, ainda em 2015, e não publicou o livro?
Ela tem exclusividade no Brasil.
Vários países levaram a obra para as livrarias no ano passado.
Portugal lançou em junho de 2018.
Neste país não há a menor movimentação para que Cartão Vermelho seja publicado por aqui.
Como revela a Folha de São Paulo.
"Dona de direitos de TV de torneios da Fifa, a Globo é citada quatro vezes no livro. Em duas, o grupo aparece quando J.Hawilla é perfilado.
O empresário —morto em 2018— foi delator na investigação das autoridades americanas. Ele admitiu ter pago propina para dirigentes na compra de direitos de transmissão de torneios da Fifa e da CBF.
Ao contar a história de Hawilla, o livro cita que ele trabalhou na Globo, primeiro como repórter e depois como chefe do departamento de Esporte da emissora, nas décadas de 1970 e 1980.
Em outro trecho, Bensinger informa o quanto a Globo pagou à Fifa pelos direitos de TV das Copas do Mundo de 2010 e 2014. Segundo o autor, a emissora desembolsou 340 milhões de euros (aproximadamente R$ 1,4 bilhão).
Na quarta referência à emissora, a obra reproduz o depoimento de Alejandro Buzarco, ex-homem forte da companhia de marketing argentina Torneos y Competencias, na Justiça dos Estados Unidos.
Na quarta referência à emissora, a obra reproduz o depoimento de Alejandro Buzarco, ex-homem forte da companhia de marketing argentina Torneos y Competencias, na Justiça dos Estados Unidos.
Em novembro de 2017, ele afirmou que a Globo e o grupo mexicano Televisa pagaram propina a um dirigente da Fifa durante negociação para compra de direitos de transmissão da Copa do Mundo.
“'Recentemente meu agente ligou para um responsável da Globo Livros, e eles disseram que meu livro menciona a Globo, mas não muito, só um pouco no final. Mas eles disseram que não querem publicar até o caso criminal ser encerrado', disse Besinger."
Na entrevista do jornal com o autor do livro há trechos esclarecedores.
"Você cita a Globo no livro. Acha que isso atrapalhou a publicação?
Recentemente meu agente ligou para um responsável da Globo Livros e eles disseram que meu livro menciona a Globo, mas não muito, só um pouco no final. Mas eles disseram que não querem publicar até o caso criminal ser encerrado.
O que te deixou mais chocado?
Não está muito no livro, mas uma das pessoas mais chocantes na coisa toda foi [o ex-presidente da CBF] Ricardo Teixeira. Ele fazia coisas muito ruins, ele se comportava como um criminoso vulgar e ganancioso. O tipo de pessoa que trairia qualquer um para se salvar. Ele era mal-intencionado. Assim como Julio Grondona, ex-presidente da AFA, na Argentina. Teixeira se comportava como um gângster e um ladrão, e Grondona se comportava como um mafioso. Eram praticamente personagens de filme. A forma como exigiam dinheiro das pessoas, intimidavam as pessoas, sua arrogância, esse tipo de coisa.
E nenhum dos dois foi preso.
Teixeira tem uma história interessante. Ele deixou o Brasil em 2012, porque estava sendo investigado em Brasília por causa de uma possível fraude em um amistoso entre Brasil e Portugal em Brasília. Havia todo tipo de dinheiro público envolvido, estava claro que houve uma grande fraude em inflar os custos da coisa toda. E ele recebeu dinheiro do governo. Os promotores abriram um caso para investigar o que aconteceu, e ele deixou o Brasil e foi viver em Miami.
Em 2014, ele voltou ao Brasil, e deu sorte, porque, um ano depois, tudo aconteceu. O Brasil não extradita seus cidadãos, e então ele não foi pego. Ele continua no Brasil, acho que tem uns problemas no rim, mas continua no Brasil. Já Grondona morreu em julho de 2014.
Basicamente Teixeira conseguiu escapar. Eu não sei o que aconteceu com a investigação em Brasília [a Polícia Federal indiciou o ex-presidente da CBF em 2015, mas o caso não andou até hoje].
Quais eram os mais corruptos, segundo os documentos?
Teixeira era o mais corrupto. Grondona era muito corrupto, algumas pessoas que não vimos na corte também eram muito corruptas. Esses eram os oficiais, Grondona e Teixeira e Nicolás Leoz, ex-presidente da Conmebol. Mas não esqueça das pessoas da Concacaf, porque na América do Norte teve Jeffrey Webb, Chuck Blazer, Jack Warner. Todos muito corruptos. Então também tiveram as pessoas que pagavam as propinas. Na Argentina, Alejandro Burzaco [empresário].
No Brasil, J. Hawilla, que também morreu, e era extremamente corrupto."
Vale lembrar que a TV Globo foi parte importante do julgamento de vários dirigentes esportivos da Fifa nos Estados Unidos.
Todos envolvidos em corrupção.
Alejandro Burzaco, ex-diretor da empresa de marketing Torneos y Competencias, fez denúncias gravíssimas no seu julgamento.
Ele garantiu que a Globo pagou US$ 15 milhões em propinas (cerca de R$ 50 milhões) para assegurar exclusividade na transmissão das Copas do Mundo de 2026 e 2030.
O dinheiro teria sido enviado por meio do ex-diretor Marcelo Campos Pinto para a T&T, braço na Holanda da empresa de Burzaco em associação com a brasileira Traffic, de J. Hawilla, e posteriormente repassado para uma conta na Suíça de Julio Grondona, ex-presidente da Associação de Futebol Argentino e ex-vice-presidente da Fifa responsável por cuidar dos direitos de transmissão para a América Latina.
O dirigente morreu em 2014.
A Globo negou as acusações.
Marcelo Campos Pinto se aposentou.
E nega, de qualquer maneira, ser entrevistado.
Não falou uma palavras sobre as graves acusações.
A Ken Besinger a Globo afirmou que publicará o livro assim que o 'caso criminal' for encerrado.
Não há, portanto, qualquer previsão.
A vida segue.
A Globo tem a exclusividade do futebol na tevê aberta.
Inclusive na Libertadores da América.
E é bom o telespectador saber.
Se chegarem à final duas equipes que não interessarem à audiência, a decisão não será mostrada.
É fácil entender porque Cartão Vermelho segue longe das livrarias...
Negócio fechado! Veja as contratações do mercado da bola

Share:

Gleisi diz que o PT vai apoiar protestos violentos no Brasil

“Manifestações ecoarão no Brasil. PT deve estar pronto para ajudar”, disse Gleisi em discurso em evento petista.

A deputada federal Gleisi Hoffmann afirmou, neste domingo (24), que os protestos violentos vistos em países da América Latina chegarão ao Brasil e pediu que o Partido dos Trabalhadores (PT) se preparasse para ajudar a conduzir esse movimento.
Em discurso após ser reeleita presidente nacional do PT, Gleisi declarou:
“Quando as grandes manifestações ecoarem no Brasil, porque vão ecoar, vão chegar da América Latina, nós temos que estar preparados para ajudar a conduzi-las.”
E, segundo o site Congresso em Foco, acrescentou:
“Querem que o povo aceite calado a retirada de direitos e o retrocesso. Mas nós não queremos. Nós faremos essa luta popular no campo democrático.”
Informação RENOVA.

Share:

Bombeiros retiram de lago computador de operador financeiro do esquema de Cabral Notebook tinha informações sobre registros de propina e foi jogado em lago por Carlos Miranda, que é apontado como operador financeiro do grupo.

Resultado de imagem para Bombeiros retiram de lago computador de operador financeiro do esquema de Cabral Notebook tinha informações sobre registros de propina e foi jogado em lago por Carlos Miranda, que é apontado como operador financeiro do grupo.


Notebook tinha informações sobre registros de propina e foi jogado em lago por Carlos Miranda, que é apontado como operador financeiro do grupo.

Imagens obtidas com exclusividade pela GloboNews mostram o resgate feito pelo Corpo de Bombeiros de um notebook que tinha registros de propina e que foi jogado em um lago em Paraíba do Sul, no interior do Estado do Rio de

Janeiro, na fazenda de Carlos Miranda, apontado como o operador financeiro de um esquema de corrupção que seria liderado por Sérgio Cabral.


Miranda contou em depoimento que tinha jogado o computador no local quando a Lava Jato começou. Segundo ele, era ali que guardava as planilhas com as transações do grupo do ex-governador. Entre elas, estariam os pagamentos feitos ao então procurador-geral de Justiça do RJ, Cláudio Lopes, denunciado na última terça (9) por formação de quadrilha, corrupção passiva e ativa, além de e quebra de sigilo funcional, crimes cometidos entre o final de 2008 e dezembro de 2012. (confira a retirada do equipamento do lago no vídeo)
“Eu joguei no lago da minha fazenda, em Paraíba do Sul, no intuito de destruir a prova”, destacou Carlos Miranda em depoimento.
O depoimento de Carlos Miranda e de outros delatores foi o que levou os investigadores ao ex-procurador-geral de Justiça. De acordo com a denúncia, ele teria recebido R$ 7 milhões em propina, em pagamentos mensais.
“Eu colocava em um envelope R$ 50 mil e entregava” afirmou Sérgio de Castro, destacando que a negociação acontecia nos palácios Laranjeiras ou Guanabara, sede do poder estadual.
A propina seria para que Lopes blindasse a organização e protegesse os envolvidos de investigações do Ministério Público do RJ. Ele teria, inclusive, pedido favores ao grupo de Cabral.

Obra no Maracanã
Carlos Miranda contou que Cláudio Lopes procurou Wilson Carlos, então secretário de governo, durante a reforma do Maracanã. O então procurador-geral queria que a Odebrecht, uma das responsáveis pela obra, subcontratasse uma empresa específica.
“Numa reunião que eu tive com o Wilson Carlos, lá no gabinete dele, acho que em 2010 ou em 2011. Essa reunião foi interrompida mais cedo porque o Wilson me informou que estava indo se encontrar com o pessoal da Odebrecht, que era responsável pela reforma do Maracanã e que ele precisava estar nessa reunião porque um dos assuntos que ele ia tratar era o interesse do Cláudio Lopes na contratação de determinada empresa, não me recordo o nome, que estaria apta a fazer a escada rolante da obra do Maracanã”, destacou Miranda.
A empresa ficou com todos os contratos da parte elétrica do estádio e outras obras hidráulicas e, de acordo com o MP-RJ, pertencia a Vitor Patrão Manhães, um parente da esposa de Cláudio Lopes, que recebeu R$ 5 milhões pelos serviços prestados, segundo a delação.

Favores
As investigações apontaram ainda que os favores e a propina aproximaram Cláudio Lopes de Sérgio Cabral. Segundo o ex-governador, o convívio entre eles passou a ser também de caráter social. Em depoimento, ele afirmou que Lopes e a família frequentaram a casa do ex-governador em Mangaratiba quatro ou cinco vezes.
Os investigadores concluíram que o fascínio por Cabral foi tão grande que, em 2016, o ex-procurador e a esposa compraram uma casa no mesmo condomínio.
Promotores relataram, na investigação, que Cláudio Lopes fazia constantes interferências e teria até vazado informações sobre uma operação.

“Foi avisado na véspera por Sérgio Côrtes que haveria diligência de busca e apreensão e que, portanto, era para o colaborador se desfazer dos documentos eventualmente comprometedores”, afirmou César Romero.
A defesa do ex-procurador-geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Lopes, afirmou que vai provar que as acusações são improcedentes.

A defesa de Wilson Carlos disse que ele vai se manifestar no processo, caso a denúncia seja recebida pela Justiça.

A GloboNews não conseguiu contato com a defesa dos outros citados.
Share:

Comentarios

Postagem em destaque

Apenas em uma cidade, mais de 280 igrejas foram demolidas na China em 12 meses

Nos últimos anos, precisamente durante o regime do presidente Xi Jinping, responsável pelo comando supremo do Partido Comunista Chinês (P...

Postagens mais visitadas

SALA

https://msngr.com/xSUE5SwLOYgSU1ZU

Forafrica

Forafrica
Enterprise.

WEBRADIOESPERANÇA

SE QUISER OUVIR APETE OPALY

Estatísticas do Site

Ajude-nos a manter esse site

Ajude-nos a manter esse site
Obrigado pela sua colabortação ADM GERAL DA PAGINA SUA COLABRAÇÃO E IMPORTANTE $0,50 1,00

CURTIR NOSSA PAGINA

SIGA-ME

SIGA-ME

TWITTER

TWITTER

Pesquisar este blog

Compartilhe Nossa Pagina

Eu quero levar esperança!

Eu quero levar esperança!
Clik faça sua doação so clik na imagem

Seja um seguidor

Tradutor

Postagens mais visitadas

xat

" frameborder="0" style="width: 700px; height: 400px;">

chat

Arquivo do blog

Popular Posts

SEGUIR POR E-MAIL

Globo de Visitante

visitante

chat